nav-left cat-right
cat-right

Beleza verde: as palmeiras “leque”

Um belíssimo exemplar da chamada “Palmeira Azul”. Clique para ver maior.

Estive há pouco na região serrana do Rio, vocês sabem. Vi espécies lindíssimas em muitos jardins pois o clima ajuda na manutenção das plantas por lá. Daí, minha amiga e paisagista Marisa Lima escreveu um pouco sobre algumas das espécies mais impressionantemente belas que existem: as palmeiras leque. Confiram:
Existem muitas palmeiras em feitio de leque, leque fechado, leque aberto; vamos mostrar algumas delas e falar sobre os cuidados gerais com cada uma.

A “Corypha umbraculifera”, também chamada de “Palmeira do Ceilão”, é encontrada no Parque do Flamengo no Rio...

... e quando está para fenecer, oferece um lindo espetáculo com suas inflorescências.

A Bismarckia nobilis ou Palmeira Azul é uma exótica de valor alto mas que compensa ter uma pela sua beleza. Se você possuir um jardim bem amplo vale a pena ter um exemplar dela ou vários, dependendo da extensão de seu espaço. Ela pode chegar até a 25 metros de altura e gosta de lugares ensolarados. E, sendo assim, precisa de regas abundantes.

A Latania é uma das mais bonitas palmeiras leque.

A Latania chinensis e a Livistonia decepiens são bem parecidas, com feitio de leque e as pontas dobradas. Espécies também de sol, atingem cerca de 12 a 15 metros de altura e são ideais para jardins. Ficam lindas em grupos de três ou mais.

A Livistonia fica bem em renques simétricos em grandes espaços.

Também de sol, temos ainda a belíssima Corypha umbraculifera que chega a 25 metros de altura. Presente no Aterro do Flamengo no Rio, trazida por Burle Marx e equipe à época da implantação do Parque, sua inflorescência é de raríssima beleza. Mas, infelizmente, quando ela floresce é o sinal de seu falecimento.

Outra espécie belíssima que pode ser cultivada em vasos: a Licuala.

Agora, para sombra, e podendo ser usada em vasos em varandas e até mesmo dentro de casa, temos a popular Raphis excelsa e a Licuala grandis ambas de fácil manutenção. As palmeiras de interior devem receber água somente duas vezes por semana e adubação com NPK 10-10-10 a cada três meses. Verifique sempre na parte de baixo de suas folhas se não existem pragas, geralmente bichinhos brancos, que podem ser cochonilhas ou pulgões. Caso eles apareçam, limpe cada folha com um pano limpo e álcool e depois pulverize a cada semana com fumo de rolo, até as pragas desaparecerem.

A bela Rhaphis: para se ter em casa.

Visite a nova fan Page de Marisa Lima no Facebook.

Related Posts with Thumbnails

Deixe um Comentário