nav-left cat-right
cat-right

Congonhas

A igreja principal com a escadaria e os profetas.

A igreja principal com a escadaria e os profetas.

Eu estava devendo este post conforme prometi aqui e, como é fim de ano e, além de festas temos as FÉRIAS em vista, para alguns, decidi “quitar a dívida”. Estive na cidade mineiríssima por duas vezes apenas. Esta foi a segunda e, pela segunda vez, estive apenas “com os profetas”. Apesar de a cidade possuir muito mais – vielas para “se perder” (no tempo e no espaço), casinhas que parecem saídas de livros e filmes históricos, uma igreja matriz, de construção recente, das mais bonitas, restaurantes, botecos e “cantinhos” para saborear gostosuras e lojinhas com coisas que mais parecem “museus de grandes novidades” – o tempo era curto, e preferimos ficar com a atração de maior destaque: o Santuário de Bom Jesus do Matosinhos que é Patrimônio da Humanidade (desde 1985), o que inclui a igreja, os profetas talhados na pedra sabão por Aleijadinho e as capelas que ornamentam a subida. Bem, as capelas estão em restauro pelo IPHAN, o que, para quem trabalha na área agora, é um verdadeiro alívio… r023 Explico: se existe um bem de interesse cultural que se encontra em obras, já é um bom indicativo que teremos, no futuro, o que mostrar. A quantidade de bens históricos e culturais que estão literalmente se acabando neste país é enorme, e eu não gostaria que estas capelas se perdessem – bem como muitos outros lugares que nem previsão de restauro possuem…

A perfeição do Cristo, talhado na madeira por Alejadinho: escultura de uma das capelas que hoje estão em restauração.

A perfeição do Cristo, talhado na madeira por Alejadinho: escultura de uma das capelas que hoje estão em restauração.

Mas a igreja principal está super bonita – foi restaurada recentemente. Pela primeira vez me interroguei porque a homenagem ao Bom Jesus do Matosinhos e, é claro, notei que devia ser obra de um português – Na cidade de Braga, em Portugal, existe um santuário dedicado a Bom Jesus do Matosinhos. E tem na wikipedia: “A fundação do santuário é atribuída ao português Feliciano Mendes que, tendo adoecido gravemente, prometeu construir um templo em homenagem a Bom Jesus de Matosinhos, como o que havia em Braga, sua terra natal, caso alcançasse a cura. A primeira igreja do novo Matosinhos de Minas Gerais foi construída em 1773, com a construção, anos após, entre 1780 e 1793 da Via Crúcis do sopé do morro até o santuário. Em 26 de julho de 1957, o Papa Pio XII, reconhecendo a importância histórica, artística e religiosa do conjunto, elevou a igreja principal à dignidade de Basílica Menor. A via-sacra é composta por uma série de capelas de planta quadrada, paredes caiadas e teto de quatro águas que abrigam cenas da Paixão de Cristo representadas mediante conjuntos esculturais esculpidos em cedro brasileiro e policromias, seguindo a estética sentimental e rebuscada do rococó“.

Eu, ao lado de Ezequiel, a quem considero "o cara" (sabe tudo do futuro! Hehehe...)

Eu, ao lado de Ezequiel, a quem considero “o cara” (sabe tudo do futuro! Hehehe…)

Mas os profetas, ah, que tristeza, eles precisam de cuidado urgente. Tem pedaços de mãos e pés faltando, pixações, e algumas rachaduras em sua base que assustam! Claro que o poder e a autoridade que emanam em nada foram afetados mas, gostaria de vê-los mais bem cuidados. Quem sabe não estão “na fila” de restauro? Outra coisa que precisa ser revista com urgência – e disso falo com conhecimento de causa, vocês sabem – é a acessibilidade ao conjunto. Claro que um cadeirante dificilmente poderá chegar próximo aos profetas que ficam na parte baixa da escadaria, mas até para quem tem duas pernas funcionando perfeitamente, o caminhar é difícil… As pedras que compõem a escadaria estão desgastadas pelo tempo, de tanta gente que já passou por elas, têm um “molde” afundado no centro. Mudá-las seria uma “afronta” ao conjunto arquitetônico? Não creio, pois o material é abundante na região e o desenho é fácil de ser reproduzido. E também a ladeira de “pé de moleque”, onde ficam as capelas, é um lugar totalmente insano para se andar. De sapatos baixos e firmes nos pés senti medo de escorregar a qualquer momento. Entendo que não se pode removê-las nem aplainá-las de jeito algum, mas, em nome da segurança dos visitantes, não dá pra fazer um caminho mais acessível?

Vista da igreja, em dia de evento. Note o piso em pedra da ladeira: acessibilidade - para gente "comum" - nível zero... Clique para ver maior.

Vista da igreja, em dia de evento. Note o piso em pedra da ladeira: acessibilidade – para gente “comum” – nível zero… Clique para ver maior.

Bem, ao lado destes inúmeros “arreparos” (como um bom mineiro diria), continuo super fã do lugar e espero voltar e ver que está tudo no lugar. Afinal de contas, as futuras gerações merecem vivenciar este marco histórico que arrepia, quando se sabe que começou a ser pensado em 1757. Vá, visite! É a melhor forma de juntarmos vozes para clamar por melhorias neste ponto turístico de destaque em nosso país!

Related Posts with Thumbnails

Deixe um Comentário