nav-left cat-right
cat-right

As cores de 2016

Para quê tantas dúvidas? A norte americana Benjamin Moore aposta do "branco total" como cor de 2016!

Para quê tantas dúvidas? A norte americana Benjamin Moore aposta do “branco total” como cor de 2016!

Como sempre digo, não sou mesmo de eleger “cor do ano” e de ficar presa a ela de nenhuma maneira. Mas as fábricas de tintas assim o fazem – ou, pelo menos, faziam… – e um bocado do marketing que lemos e vemos a respeito desse assunto vem delas. Na verdade acho que essas cores apontadas como sendo as principais do ano servem para nos inspirar. Influenciar também, mas inspirar é mais adequado, pois pode te levar a um resultado bem distinto do que você imaginou a princípio…  E muitas empresas já perceberam que “fechar” em um só tom, de uma só cor, é muito restritivo, e acabam por criar grupos ou famílias de cores para que a gente escolha uma cor e vá em seus tons principais – e nos seus contrastantes – para criar esquemas de cores que funcionem durante um período de tempo. Enfim, busquei o máximo que pude, inclusive do exterior, para vocês sacarem a “geleia geral” dessa história. E, é claro, se inspirarem para encontrar O SEU PRÓPRIO caminho…

O "ouro monarca" (em cima) e tonalidades complementares da Coral Tintas.

O “ouro monarca” (em cima) e tonalidades complementares da Coral Tintas.

A cor do ano de 2016 para a Coral Tintas é o “Ouro Monarca“, ou seja, um douradão da melhor categoria, dentro da tendência de uso de metálicos já por alguns anos bem presente nos interiores. Eu gosto dos metálicos, não posso dizer que não, mas não é um metálico desses que faz minha cabeça para usar como base ou tom principal em um ambiente. Eles também chamam o tom de “ocre dourado” e ele me lembra um amarelão sofisticado, mas nada leve. E para não ficar “de fora” dos sonhos de consumo de todo mundo que quer pintar a casa mas não curte o amarelão indicado, a Coral mostra outras 45 tonalidades “do ano”, ou seja, que apareceram nas tendências por eles detectadas. Estas 45 cores vêm das famílias dos vermelhos, amarelos, violetas, laranjas, azuis, verdes e neutros (frios e quentes) e foram divididas em outras 4 famílias que têm conceitos embutidos em seus nomes, a saber: “Tradição e Futuro”, “Palavras e Imagens”, “Claro e Escuro” e “Estrutura e Liberdade”. Cada uma delas tem um porque e aí eu te convido a visitar esta página no site da empresa para saber tudo em detalhes. Aqui, eu destaquei algumas imagens que me chamaram a atenção.

As DUAS cores do ano da Pantone: rosa e azul clarinhos.

As DUAS cores do ano da Pantone: rosa e azul clarinhos.

Pois é, a Pantone, internacionalmente reconhecida, seguida e líder quando se fala em COR, surpreendeu um bocado todo mundo: ao invés de UMA COR, como todo ano indica, para 2016 apontou DUAS CORES. E duas cores meio “complicadas”, “discutíveis” digamos. Um rosa e um azul claro – bem distantes dos “marsalas”, “orquídeas radiantes” e “esmeraldas” de anos anteriores. Obviamente que “Rose Quartz” (o rosa Pantone 13-1520) e “Serenity” (o azul Pantone 15-3919) são lindas tonalidades, aplicáveis a uma série de situações, basta projetar direitinho. Houve uma conversa na grande rede de que a escolha foi um tipo de “busca por alívio”, num mundo tão confuso, violento e inseguro. Pode ser, e a Pantone explica a indicação da seguinte forma: “as pessoas vêm buscando por bem-estar como um antídoto para as tensões do dia a dia moderno, cores psicologicamente acolhedoras que nos tragam tranquilidade e segurança estão se tornando mais proeminentes. Combinamos ‘Rose Quartz‘ e ‘Serenity‘ para demonstrar um equilíbrio inerente entre um rosa quente e envolvente e a temperatura mais amena e tranquila de um azul, refletindo uma sensação calmante de ordem e paz”.” (tradução livre)

As cores do ano da Pantone e sua mistura/transição ao centro: também uma tonalidade importante.

As cores do ano da Pantone e sua mistura/transição ao centro: também uma tonalidade importante.

Uma outra ideia que a Pantone defende é a de que “os gêneros humanos vêm a cada dia mais se ‘dissolvendo’ em campos como a moda, por exemplo, e isso impacta diretamente nas tendências de cores em todas as áreas do design. Esse aspecto coincide com movimentos sociais que buscam a igualdade entre os sexos e um maior conforto das pessoas no uso das cores como forma de expressão“. Daí que, de rosa ou de azul, vamos todos, homens ou mulheres, meninos ou meninas. Logo, NÃO SE TRATA de valorizar “feminino” e “masculino” mas de pensar em cores como preferências individuais. Eu achei confuso, mas como para mim todas cores, todos os tons, “estão valendo”, as duas cores não me causam nenhum problema.

A Lukscolor aposta nos verdes. Clique para ver maior.

A Lukscolor aposta nos verdes. Clique para ver maior.

A brasileira Lukscolor lançou um catálogo de tendências próprio para 2016. A empresa apresenta uma paleta de cores que vai, segundo eles, se destacar no próximo ano, obtida “a partir de estudos sobre o comportamento humano e suas manifestações“, e ainda baseando-se no inconsciente coletivo e no mercado de consumo. A paleta é composta por 30 novas tonalidades divididas em 11 coleções de tons agrupados, tais como vermelhos, violetas, azuis, verdes, etc. (veja o catálogo completo neste link). Uma destas coleções recebe destaque maior e se chama “Equilibrium“: é composta por três verdes azulados que, ao que parecem, podem ser considerados “a cor do ano” para a empresa.

Aí, para complicar mais a cabecinha da gente, dei de cara com a cor de 2016 para a norte americana Benjamin Moore: é o “Simplesmente Branco”…  Isso mesmo, um dos maiores fabricantes de tintas em todo o mundo, a empresa crava suas apostas no branquinho declarado… Veja abaixo um vídeo com apresentação dos “porquês”, em inglês (o visual é bonito, mesmo não falando a língua você irá curtir!  )



Mas a marca também fala em outros tons, inclusive bem intensos, como um rosa e um amarelo forte. Veja a paleta do ano para eles:

Paleta para 2016 da norte americana Benjamin Moore. Clique para ver maior.

Paleta para 2016 da norte americana Benjamin Moore. Clique para ver maior.

Em resumo? O de sempre: acho que branco (e ‘off whites‘ de um modo geral), sempre vão bem. E com as demais cores dá pra “brincar” bastante, nada a destacar.

O verde "Água Marinha" é apontado como a principal tonalidade de 2016 pela Suvinil.

O verde “Água Marinha” é apontado como a principal tonalidade de 2016 pela Suvinil.

E a Suvinil também colocou todo o seu “poderio” para nos encantar com as cores do ano que vem. Numa proposta das melhores, abandonou a tal “cor do ano” e elegeu a LUZ como o principal elemento (e origem, e razão), para a determinação das tendências em cores para 2016 – gostei muito!  Há um destaque para a tonalidade de verde “Água Marinha“, considerada “a cor do equilíbrio”. Mas a empresa destaca bem as demais tonalidades, que foram organizadas em três famílias: “Substancial“, “Complementar” e “Dinâmico“.

Destaque para "Areia do deserto", "lenha" e "papoula" da família "Substancial" da Suvinil.

Destaque para “Areia do deserto”, “lenha” e “papoula” da família “Substancial” da Suvinil.

Em “Substancial” a ideia é a essência, o ponto de partida. Uma nova consciência, novos territórios, crenças e valores revistos inspiram um modo de viver mais descomplicado, conectado com a natureza e com a compreensão do todo. Nesta família, os tons relacionados à natureza se destacam, tais como “Areia do Deserto” (um cru), “Bombom de Licor” (um rosa envelhecido) e “Allure” (bege rosado). Mas também estão presentes tons de laranja e vermelhos como “Papoula” e “Telha Nova“, e algumas tonalidades de marrom.

As cores básicas e fortes  da tendência "Dinâmico" da Suvinil.

As cores básicas e fortes da tendência “Dinâmico” da Suvinil.

Em “Dinâmico“, cores energizantes tomam conta do espaço: tons primários como “Vermelho-amor“, “Azul-royal“, “Amarelo-bandeira” e “Samambaia” são as principais da tendência, envolvendo ainda a “Apatita” (um tom de azul esverdeado) e o “Papoula” (um laranja).

Observe o rosa e o azul da Pantone na tendência "Complementar" da Suvinil.

Observe o rosa e o azul da Pantone na tendência “Complementar” da Suvinil.

Em “Complementar” vêm as cores suaves: o doce “Rosa Neon” e o violeta clarinho “Jardim de Infância“, o refrescante “Verde-cristalino” e neutrinhos como os cinzas “Elefante” e “Crômio“. Vale visitar a parte de tendências do site da empresa que está todo colorido com as cores da paleta de 2016, mostrando suavemente um desfile delas.

Simples e sem maiores delongas, a Eucatex aponta o verde "Hortelã" como cor de 2016.

Simples e sem maiores delongas, a Eucatex aponta o verde “Hortelã” como cor de 2016.

Finalmente, a Eucatex escolheu uma única cor – que tem a ver com tudo o que falamos acima, claro: “Hortelã” é o nome de um verde que “germina, cura, renova e equilibra”. O estudo foi feito pelo Comitê Brasileiro de Cores (CBC) e o fundamento para a escolha é a de que “a tonalidade conserva as propriedades tranquilas do azul e as energéticas do amarelo, conectando as duas emoções“. Segundo Elizabeth Wey, presidente do CBC, “a Hortelã está presente nas ruas, automóveis, têxteis, cerâmicas e revestimentos. Os diversos tons de verde contemplam também a decoração de ambientes, proporcionando a fuga da exaustão tecnológica, o que leva à introspecção intelectual alimentada pela cor. Com isso, a Hortelã é a aposta para harmonizar os lares com esperança de frescor e energia”. A harmonização pode ser feita com as tonalidades neutras das madeiras, do linho e do algodão, em tons amarelo, fúcsia e até mesmo com o intenso vinho.

Dá para notar que o ano vai ser meio “para o verde”, com mistura de ouro, rosa e azul. Então… há cores para todos os gostos! Por que centrar-se em apenas uma? Se você escolher um verde, vai sempre ter a palavra do CBC dizendo que “esta é a tendência do ano!” Se escolher um rosinha, a Pantone te apoia. Até se for direto no branco, Benjamim Moore está com você. Divirta-se!

Related Posts with Thumbnails

Deixe um Comentário