nav-left cat-right
cat-right

As novas da Portobello em 2016

Os "mármores" da Portobello: um destaque em 2016.

Os “mármores” da Portobello: um destaque em 2016.

Neste ano a Portobello ficou por último aqui na atualização dos lançamentos da Expo Revestir Pois é, já estamos em JULHO, já, já estaremos falando de NATAL – alguém duvida?  – e eu ainda, tartarugando com lançamentos de março deste ano: ninguém merece… Verdade, mas é verdade também que esses lançamentos são… fresquinhos. Fresquinhos pois, pode ter certeza que tem muita coisa que nem chegou ainda às lojas ou… nem chegará. Lembram-se quando eu disse que a feira ocorre em março, quase como um “balão de ensaio” e que, aos poucos, o que fez mais sucesso vai sendo produzido de fato, e levado, de fato, às revendas para COMPRA por parte dos consumidores? agora, em meados do ano é que os lançamentos estão de fato, todos eles, disponíveis para sua obra… Isso é verdade para quase todos os fabricantes e, honrosas exceções aqui e ali – pode ser que a Portobello seja uma, não posso afirmar isso categoricamente, claro – tá tudo novo, tá tudo ‘jovem’ pra gente usar, fiquem frios…  (e leiam uma notinha importante lá embaixo…  )

Linha “Geppetto“: toda a beleza do “Mosaico Spina

De modo que, o que apresento aqui de novidade da Portobello ainda é novidade sim, pelo menos até o início do ano que vem. Então, vamos dar uma olhada? Deixe-me fazer mais uma ressalva: esta marca é uma das empresas que mais lançam moda e tendência, e eu sempre gosto de colocá-la na frente, mas neste ano eles abriram tantos canais de comunicação com o distinto público – que é variado mesmo, vai do cliente final às construtoras (grandes clientes/corporativo), passa pelos profissionais, pelo pessoal de imprensa (jornais, revistas, blogueiros), pelos clientes fiéis (lojas próprias), enfim, muita gente que olha os produtos de forma diferente – então, tem um monte de formas de falar com essa gente toda, e aí, empresa grande e cheia de produtos, parece que tem uma Portobelo pra cada dia da semana – ou para cada um que fala com eles. E isso me confundiu pacas. Estou me baseando na parte de lançamentos do site para mostrar a vocês o que mais gostei do que é novo em 2016, mas tem tanta coisa que eu não vi e que vem sendo destacado por cada um dos diversos “canais” da empresa que eu nem sei…  Enfim, vamos “segurar esse touro “à unha”! image23

O lindíssimo "Chevron Alpine", da Coleção "Stone Wall", uma das que considerei "prata da casa" da empresa, em 2016.

O lindíssimo “Chevron Alpine“, da Coleção “Stone Wall“, uma das que considerei “prata da casa” da empresa, em 2016.

Bom, como não poderia deixar de ser para uma empresa deste tamanho, a Portobello tem produtos que atendem às principais tendências em voga no ano: tem hexagonais, tem cerâmica imitando tijolinho, tem porcelanato imitando madeira, mármore, pedra, etc. tem tudo o que você quiser, inclusive o feijão com arroz básico que são as cerâmicas e porcelanatos bonitos pacas que eles sempre criaram, ou seja, “a prata da casa”. Mas o conceito da coleção 2016 foi batizado de “In and Out” ou ainda “Arquitetura em Movimento“, o que significa, “arquitetura dentro e fora”, em toda parte, pra todos os lados de sua casa, dentro de casa e fora de casa. Dinamismo, movimento, que nunca para, que está sempre em mutação, mudando, transformando. Na verdade a palavrinha chave na qual eles querem se segurar é INOVAÇÃO. A Portobello está sempre junto da inovação. E se a gente for pensar bem… está mesmo, não vou contrariá-los não, eles fazem o “para casa” direitinho e estão sempre se atualizando…

Toda a beleza de "Gibraltar", um dos lançamentos chave do ano.

Toda a beleza de “Gibraltar“, um dos lançamentos chave do ano.

E daí que, neste ano, os lançamentos ficaram em seis tipos básicos, conforme vou apresentar a seguir:

"Portland Stone": disponível em três tons e dois tamanhos, um deles para aplicação em paredes.

Portland Stone“: disponível em três tons e dois tamanhos, um deles para aplicação em paredes.

PEDRAS – produtos com relevos, ligados à natureza. As pedras são os produtos mais rústicos, que vão bem tanto em decorações de alto padrão como um contraponto à sofisticação de móveis e a revestimentos/acabamentos de paredes mais finos, ou complementando espaços rústicos em sua totalidade. Eu diria que os lançamentos “Gibraltar” e “Portland Stone” foram os que mais me agradaram, apesar dos outros do mesmo “segmento” também são muito, muito bonitos. O primeiro por que, além de bonito, tem um tanto de história desse planetinha em que vivemos, que me deixa um tanto abobada (não é só isso, mas saber que, no Estreito de Gibraltar – uma “simples esquininha” entre o Oceano Atlântico e o Mar Mediterrâneo – existe esta imensa rocha que também é conhecida como um dos “ombros de Hércules”, da Mitologia Grega, me emociona… smiley10 ); o segundo por que une a contemporaneidade do concreto com a tradição de outros tempos: trata-se de um limestone antigo, retirado originalmente de uma ilha britânica, e material muito comum em Londres, que depois batizou o cimento Portland, padrão em todo mundo. Ora pedra, ora concreto, sempre puro design, para uso interno e externo, Portland Stone, segundo a empresa é belo e ousado.

Calacata Oro revestindo a banheira: quer maior sofisticação?

Calacata Oro” revestindo a banheira: quer maior sofisticação?

O Nero Marquina da Portobello: um tom de cinza bem escuro com peças grandes.

O “Nero Marquina” da Portobello: um tom de cinza bem escuro com peças grandes.

MÁRMORE – produtos que simulam pedras elegantes, polidas, com veios e cores exclusivas, sofisticadas. Aqui eu curti muito o “Calacata Oro“, pois significa simplesmente o domínio da tecnologia de fabrico de uma pedra absolutamente soberba – o mármore Calacata que é branco, absolutamente lindo, com veios em cinza e delicadíssimos pontos e veios em dourado, à perfeição. Para reproduzir uma pedra dessas, a Portobello (e outros fabricantes do mercado que eu inclusive já falei por aqui… smiley16 ), levaram muitos e muitos anos. E nós ainda vamos usá-los para descobrir sua manutenção e durabilidade: lembrem-se que estes produtos ainda não passaram pelo teste do tempo, como um legítimo mármore, até por que não há muitas casas por aí um com um mármore deste tipo em uso. O outro tipo muito comentado pela empresa é o “Nero Marquina” o qual também sou absolutamente fã: mas este veio como um tom de cinza escuro e não preto total, como se encontra em qualquer marmoraria. É um mármore escuro muito belo, com veios claros, que acho um pouco difícil de ser utilizado em qualquer lugar com facilidade. Bem, sempre há um banheiro para você revestir e usar toalhas claras, mas creio que lugares de maior circulação dão uma melhor ideia do uso do produto.

Em Ecollection, Taiga Natural Chevron. Clique para ver maior.

Em Ecollection, “Taiga Natural Chevron“. Clique para ver maior.

Em Ecodiversa, Parquet Line Suave: a marcenaria em alta.

Em Ecodiversa, “Parquet Line Suave“: a marcenaria em alta.

MADEIRA – neste ano a Portobello inovou de modo inteligente com a madeira: foram lançados produtos com tons e veios muito bonitos, reproduzindo o visual de madeiras mais raras como o Jequitibá e a Magnólia, mas a grande novidade foram os trabalhos com a madeira, ou seja a reprodução de chevrons e parquets: muito artesanato e muita marcenaria. A ideia foi fazer a madeira trabalhada sobre cerâmica e porcelanatos. São duas coleções básicas: Ecodiversa e Ecollection, além da novidade Geppetto, que traz mosaicos realmente lindos para aplicação em paredes. Em Ecodiversa há tons mais claros e trabalhos mais suaves como satinés e parquets delicados. Já em Ecollection, aparecem espécies mais rústicas e trabalhos mais complicados como chevrons e tábuas. É apaixonante ver a qualidade de um material totalmente “frio” e distante como peças cerâmicas, de um trabalho “quente e próximo” – e executado por artesãos – como a madeira, nos trazer à mente sensações tão exatas e intensas como estas: basta observar bem as imagens para entender o verdadeiro milagre que está acontecendo diante de nossos olhos: a simulação da madeira “quente” sobre a “fria” cerâmica.

Um bom momento da coleção "Sampa", carro chefe do tipo "Concreto": a linha "MASP", formato tacões de 5 x 40,5 cm, colocado na parede reto e no piso como 'chevron'. Clique para ver maior.

Um bom momento da Coleção “Sampa“, carro chefe do “Segmento Concreto“: a linha “MASP“, formato tacões de 5 x 40,5 cm, colocado na parede reto e no piso como ‘Chevron‘. Clique para ver maior.

CONCRETO – mais atual e “IIINN“, impossível. Produtos que carregam em si texturas e tonalidades inspiradas nas que vemos nas cidades, principalmente em “Sampa” – claro, nossa São Paulo. A Portobello fez uma declaração clara de que a inspiração veio dos mil e um tons de cimento da megalópole que domina o país e que, de fato, tem muita coisa a nos mostrar. Some-se a isso os ladrilhos hidráulicos do Rio de Janeiro, mais lindos cobogós de concreto com um jeito minimalista e urbano, bem diferente das propostas que vêm surgindo no mercado.

Na linha Gotham, peça para piso "Pier", o concreto vem misturado às pedras, numa releitura bem citadina deste material já há muito impresso em nossas retinas.

Na linha “Gotham“, peça para piso “Pier“, o concreto vem misturado às pedras, numa releitura bem citadina deste material já há muito impresso em nossas retinas.

Dolce Vita: formato quadrado, tamanho incomum (25 x 25cm) acabamento irregular: tudo diferente.

Dolce Vita“: formato quadrado, tamanho incomum (25 x 25cm) acabamento irregular: tudo diferente.

CERÂMICA – produtos feitos à mão, artesanais, personalizados e únicos. Falando assim, parece até que voltamos aos tempos das antigas olarias, quando homens cobertos do pó da terra (ou “dos pós”), criavam com as próprias mãos inúmeros tijolos e revestimentos para suas próprias casas. A ideia é esta mesmo e o “produto” maior é o tijolinho, que anda em altíssima, a revestir do canto mais simples ao solar mais suntuoso. A inspiração também vem de fora, do que era a cerâmica no alvorecer da humanidade, no Velho Mundo e nos primeiros tempos da civilização. Um tom retrô meio histórico, meio cosmopolita. Também há a vertente mais modernosa com peças mais estreitas e elegantes – 7 x 26 cm – mais comuns no exterior, revestindo interiores e fachadas.

A beleza de Georgian Blend, aplicado em fachada.

A beleza do tijolinho em tom “Georgian Blend“, aplicado em fachada.

O belíssimo "Tressed White" é da linha "Wall Mosaic" e vai bem em inúmeros ambientes.

O belíssimo “Tressed White” é da linha “Wall Mosaic” e vai bem em inúmeros ambientes.

PAREDES – a “prata da casa”, ou seja, o que empresa faz bem desde sempre: texturas, relevos, cores que eles sabem criar como ninguém. Cerâmicas e porcelanatos lindésimos, que podem ser usados para revestir o que se desejar. Neste ano eles deram um nome bonitinho de “customização” mas, para mim, nada mais é que o que sempre fizeram, com os designers e criadores da própria empresa. Há linhas como “Stone Wall” e “Wall Mosaic” que são simplesmente lindas, com todos os padrões podendo ser utilizados com sucesso em uma infinidade de lugares. São enfim a própria criatividade da empresa solta, livre e leve como sempre foi, fazendo o melhor de sempre.

Nota Importante 1: Durante as mostras Casa Cor© também é hora de lançar e relançar produtos, logo, é o momento em que novidades recebem divulgação especial por parte dos grandes fabricantes.

Nota Importante 2: Só para esclarecer, o Limestone é uma pedra natural calcária com aspecto semi rústico e clássico, com grande flexibilidade de aplicação. Os acabamentos de sua superfície podem ser: levigado, polido, anticato (envelhecido) ou natural (bruto).

 

Related Posts with Thumbnails

Deixe um Comentário