nav-left cat-right
cat-right

Você conhece a Muma?

O pufe e o banco “Cloud” do misto de arquiteto e designer brasiliense Humberto da Mata foram as peças que primeiro me despertaram a atenção para a nova loja, a Muma.

Eu achei muito ‘gracinha’ a Muma desde o princípio. O que primeiro me chamou atenção foi o pufe “Cloud” de Humberto da Mata, e depois vi o banco também. Aí depois notei que a loja virtual tinha muitas peças como estas a bons preços, o que é bem importante quando a gente quer montar uma casa descolada, moderna, bonita mas não pode arcar com verdadeiros absurdos que se vê por aí (convenhamos que, em termos de custo x benefício, o Brasil está de pernas para o ar…  )***1.

Escrivaninha e penteadeira “Amélie” de Andrea Kac e Herman Schenck que formam o estúdio de design uruguaio ‘Amueblate‘.

Depois vi que a loja nasceu em Recife, Pernambuco, em maio de 2017, e agora tem uma filial em São Paulo, o que mais me admirou, eu que sou do sudeste, acostumada ao eixo Rio-Sampa, saindo no máximo até Minas ou para os estados do Sul. Mas cada vez mais a gente vê coisas super acertadas do povo lá de cima do país: não apenas venda final, mas toda uma produção de bom design tem partido de lá. E veja bem que eu não estou falando de bom artesanato. O norte e o nordeste de nosso rico país criativo sempre foram encarados como ‘áreas curiosas’, de criação de todo tipo de coisa mambembe mas muito legal para venda no centro sul. Agora não: artesanato sim, mas de alta qualidade. E não apenas isso, mas design de verdade, para “exportar” para os olhares do sul já cheio de conceitos formados e também para o exterior, que não tem tantas ideias pré concebidas assim, e os recebem como produtos brasileiros ótimos que são, sem mais considerações.

Poltrona “Tamanduá” em madeira e lona de caminhão ou jeans, da Moble. Clique para ver maior.

Mas voltando à Muma: eles são ‘apenas’ uma loja virtual de peças de design – de bom design – com assinatura de gente mais ou menos conhecida que eles selecionam. Só isso já dá uma trabalheira enorme, e eles entregam para todo o território nacional. Quando você pensa que vai vender em Recife e entregar no Pará é complicado, não é? Agora imagine que você vai vender um sofá, uma estante ou uma poltrona? Como é que faz para montar o móvel, dar garantia, etc e tal? Pois é, é complicado, não é? E os possíveis defeitos de fabricação, erros e enganos que podem acontecer? Bem, quem abriu a loja de certo pensou em tudo isso mas, respirou fundo e aceitou o desfio. Eu os admiro. E se vocês olharem os móveis da empresa verão que são fáceis de montar sim, mas que podem dar um trabalho caso o cliente não tenha um certo ‘talento’ para colocá-los de pé…  Enfim, quero dizer que acho bem corajosa só a atitude de se aventurar em um e-commerce do tipo, mas tudo que é bom começa de algum ponto, certo?

Cômoda “Floripa” feita em madeira de reflorestamento tem diversas opções de cores: é design de Rubens e João Ferreira.

Do ponto de vista do design não há o que reparar: de Karim Rashid a Guilherme Luigi (designer gráfico formado pela Universidade Federal de Pernambuco com mestrado em Design de Produto na ELISAVA em Barcelona), de Paula Bohrer (arquiteta dublê de designer do estudio “Modoo“) a Arne Jacobsen, nomes novíssimos e hiper consagrados passam pelo site e pela loja física com desenvoltura e garbo como se todos estivessem em um grande evento exibindo o que têm de melhor na vitrine da Muma. Há coisas exóticas e incomuns e coisas comuns com novas abordagens, materiais, cores, etc. Uma parte forte de mobiliário e uma fortíssima de objetaria com gente daqui e do exterior com coisinhas lindas que vão desde a capa da almofada à mesinha lateral bem transada. Tudo bem bolado. É um deleite passear pelo site.

A cadeira “Ripa” em madeira maciça de jequitibá: leveza visual com firmeza e robustez. Da catarinense Geovana Cadore e do paulista Ícaro lima, que compõem o ‘Studio OQ Da Casa‘.

Bem e o negócio vai indo. Realmente fiquei com vontade de ir até as duas lojas físicas para ver tudo de perto. Claro que São Paulo é mais perto e é meu “quintal de casa”, mas Recife foi onde tudo começou, imagino como seja a “loja matriz”. Enfim, uma maravilha saber que isto tudo está acontecendo. Sucesso para a Muma

A parte de objetos da Muma não deixa a desejar. Vejam que especiais estas peças que escolhi para mostrar (em sentido horário): o belíssimo cabideiro “Flip” em madeira clara e níquel – design de David Quan – o lindésimo relógio de parede “Ribbon“, com acabamento em cobre – design de Michelle Ivankovic – a luminária “Cup” – design de Paul Loebach – e o kit de porta objetos “Colinas“, design de Rodrigo Bittar.

***1 Gostaria de dizer que, quando eu conheci, os preços da Muma eram bem razoáveis. Isso foi em 2017. Hoje, não sei sei mudei eu, ou se mudou a loja. Deixo a ressalva pois, depois de tanta água passar por baixo dessas pontes, do país e das minhas próprias, não vou voltar atrás e dizer que “está tudo caro”.  MASSSS… hoje, com o que ganho, já não compraria com facilidade na loja, esta é a verdade nua e crua… 

Related Posts with Thumbnails

Deixe um Comentário