nav-left cat-right
cat-right

3ª mostra Novos Talentos Brasileiros

O espaço de Chris Bernardes para a 3ª Mostra de Design Novos Talentos Brasileiros: ‘simples e no ponto’ como eu gosto de dizer. Clique para ver maior.

E neste ano teve nova edição da mostra Novos Talentos Brasileiros em paralelo à Morar Mais Rio: acho que agora já houve uma articulação dos dois eventos, o que eu acho ótimo para ambos: é a terceira edição da mostra de design que se beneficia do público fiel da decoração que, obviamente, prestigia os novos designers. E como não falei nada nos dois posts anteriores que tratei sobre os ambientes da mostra de decór, aproveito para cumprimentar Chris Bernardes que fez tão bem a ambientação do espaço que recebeu os protótipos e objetos da mostra de design: ficou simples e bem pensado. Apenas discretas luminárias com focos de luz jorrando sobre as peças e toques coloridos demarcando fachos de luz: bonito e prático, nada melhor. Mas o espaço de 120 metros quadrados teve seus detalhes e destaques, né? Primeiro, pássaros aramados do artista plástico Roberto Romero foram pendurados em revoada aqui e ali, num detalhe singelo e interessante, sem atrapalhar em nada a expo. E as luminárias foram feitas pelo designer Carlos André Vaz, da Drum, que fica na antiga – e badalada! – Fábrica Bhering, em Santo Cristo – e as danadinhas são um verdadeiro “upcycle“: foram feitas a partir de extintores de incêndio descartados! Bonito isso, não? 

Agora à mostra em si, teve duas partes: 79 designers de todo o país (14 estados), foram selecionados com 90 peças (móveis e luminárias) e 30 banquinhos. São estudantes, graduados e também autodidatas, e as peças foram escolhidas entre protótipos e outras já em produção. A parte dos banquinhos foi chamada de “Um banquinho para chamar de seu” pois também engloba uma outra proposta, onde dez designers de produto cariocas em início de carreira foram convidados a customizar o banquinho “Carioquinha” da “Orb“, que a Americanas.com, está lançando, com dez cores diferentes. Eles tiveram total liberdade para criar, valendo desde interferir diretamente na superfície da peça como promover acréscimos e até trocar ou acrescentar funções. Ufa, é muita coisa a ver, e eu curti um bocado delas! 

Em ordem de “gostança”, misturando tudo, vou destacar o que mais me agradou:

1 – O banquinho “Pandeiro” de Leandra Fernandez e Jaildo Lima, com um encaixe bem interessante de duas peças redondas com acabamento envernizado e pés metálicos. Parece simplório e é mesmo. Síntese nacional de algo tão brasileiro, achei muito legal. 

2 – A luminária “Bicho da Seda” do arquiteto e designer carioca Francisco Palmeiro: totalmente articulável, na cor que você quiser – basta mudar a fonte de luz – na forma que você quiser, no lugar que você quiser! É feita em alumínio e plástico, pode ter de 5 a 20 metros de comprimento, e de 8 a 30 cm de diâmetro. A peça do ano pra mim: amei muito! 

3 – Outra luminária, dessa vez em fitas de madeira: a “Caracola“, de Cristiano Bottini: bonita, elegante, tudo a ver com uma sala bem decorada, um home office, um hall de entrada…

4 – A cadeira “Vortex” de Luciana Teixeira – me lembra alguns lançamentos de Milão neste ano provando que estamos par e passo com o melhor do design no mundo, e não se trata de mera cópia: a peça de Luciana tem características e qualidades próprias que a diferenciam do que vi nos iSaloni. Trata-se daquele “ambiente criativo que paira pelo inconsciente coletivo que acaba gerando peças parecidas”, apenas.

5 – A poltrona “Uirapara” de Patricia Opitz: uma poltrona confortável e estilosa, nada a dever a outras do mesmo tipo. Feita em cerejeira e corda de hemp, revestida em linho branco, é design para se colocar na sala, pronta que está.

6 – Outra peça super elegante é a mesa de centro “Balanço” de Julia Machado: em ipê tabaco e tampo em vidro temperado, tem 80 x 80 x 37 cm, é super simples e dá seu recado com perfeição em poucas e boas linhas. Pra quê mais?

7 – O banquinho “Arestaz” de Daywison Ferreira de Sá: simpático e criativo, feito em ferro e madeira, não tem nada demais, e nada a tirar nem pôr. É bom uma peça assim, pronta, em si.

8 – O abajour “Maquinário” de Tuani Meirelles, que já está em produção na inSana Design: a base é feita com engrenagens de torno mecânico, o visual é super industrial e muito interessante, com uma cúpula simples em tecido preto. Eu adorei! 

9 – O banquinho “Leva-e-Traz” de Lais Novo: em madeira maciça Jatobá e Tauari – o que o faz resistente – todo articulado e dobrável, portátil é ótimo! Sai daqui para ali num momento, servindo de assento prático, útil, bonito, uma belezinha!

10 – Adolfo Pallandra, de Teresina no Piauí, participa da exposição com dois produtos no evento “Um banquinho para chamar de seu“. Os bancos, batizados de “Cangalha” (inspirado na armação que se apõe ao lombo das cavalgaduras para pendurar carga de ambos os lados) e “Muié Rendeira” (inspirado no tear da renda de bilro), foram produzidos em madeira muiracatiara, através de técnicas de marcenaria contemporânea e estofamento. Gostei de ambos, mas o segundo eu destaco como o meu escolhido! 

11 – Uma graça o banquinho “Pinguela” do mineiro de Divinópolis Francisco Oliveira. Ele já trabalha na área e participa com quatro criações: duas luminárias, uma mesa de centro e este banquinho que eu escolhi. Feito em jequitibá, já está em linha de produção, como outras peças produzidas em metal, madeira, vergalhão e cerâmica. Muito bom…

12 – O designer Alex Toscano, de Teresópolis, participa da exposição com uma série de quatro banquinhos sustentáveis. O que mais curti foi esse, o modelo “Renda“: tem base em madeira e metalon, o assento é produzido em Ecomármore (uma massa marmórea criada a partir da reutilização de sacos de cimento vazios), o processo de fabricação é semi-artesanal, com ferramentas manuais e prensa. Bem sustentável e bacaninha!

13 – Também achei uma graça a Luminária “Icosi“, feita em folha de madeira, MDF e fio de algodão: produzida pelo carioca Studio Tree Design (leia-se José Vitor Leite, Lucas Dubal e Leonardo Santos) é um pendente que também pode ficar no piso, ou sobre uma superfície, claro. É simples e é estilosa, curti!

14 – A cadeira “Enai“, de Daiane Camargo é super simpática com essas bolinhas de E.V.A. usadas em tratamento ortopédico que fazem massagem nas costas e no bumbum de quem a usa. Notem que as cores do compensado multilaminado e das bolinhas foram bem escolhidas para não fazerem muito contraste, e que as dimensões foram super bem calculadas para que o efeito da “terapia” tivesse o efeito desejado.

15 – A cúpula para luminária “Esqueleto” surge aqui no final mas é bem aquele “last but not least” – eu gosto de sua originalidade e seus materiais: adoro couro e ele pode ser um dos acabamentos externos, o que eu acho que deve ficar lindo. Seu interior é feito de PET reciclado e os outros acabamentos podem ser borracha ou cortiça – duas coisas que me agradam também. Ideia muito boa da paulista Renata Fernandes!

Dos banquinhos “Carioquinha“customizados, destaco:

O banco “Laço” de Tati Ferrucio

 

… o banco “Desuso” de Marcela Rodrigues

 

… e o “Urban City” de André Furtado.

Você pode ver todas as peças acessando o link da 3ª Edição no site do evento . São três páginas: banquinhos, luminárias e mobiliário. Basta clicar e ir vendo cada peça e seus detalhes. Eu, é claro, além de visitar, levei horas passeando pelo site, pelo Instagram… 

Mas nada como ir até a mostra, né gente. Ainda há tempo, prestigie! Deixei todas as dicas aí embaixo para que você passe uma tarde agradável, entre bom design, descobrindo detalhes que eu não vi. Vá sim! 

SERVIÇO:

3ª edição da mostra Novos Talentos Brasileiros
CasaShopping – Av. Ayrton Senna, 2.150, bloco P, 4º piso – Barra da Tijuca.
até 9 de setembro de 2018
de terça a domingo, das 12h às 21h.
Informações: 2512-2412
Entrada gratuita neste ambiente

Related Posts with Thumbnails

Deixe um Comentário