nav-left cat-right
cat-right

As luminárias da Grok Lighting

Uma das peças mais belas da coleção da Grok: arandelas “Invisible“, em um espaço de trabalho.

Gosto muito de falar sobre luminárias pois com elas há sempre novidade e evolução. Dificilmente a gente não aprende um pouco mais sobre o assunto – iluminação – e não fica sabendo de uma novidade a mais quando se escreve e se publica algo sobre luminárias – ainda mais em se tratando de peças fabricadas no exterior. Por isso hoje eu falo da espanhola Grok Lighting, cujo nome parece isso mesmo, estranho, esquisito, um ruído, mas cujas luminárias não deixam nada a dever às suas concorrentes europeias, dentro e fora de seu país – sim, por que a Espanha tem ótimas fabricantes de luminárias…  Então vamos ver algumas belezinhas?

Toda a beleza de “Ilargi” em versão dupla e simples.

Começando com o pendente “Ilargi“, já que os globos totalmente lisos voltaram à cena na iluminação e estão em super alta – a maior parte com um ou outro detalhe ou interferência, claro. Evoca a luz da lua e significa mesmo o nome do satélite em Basco, por isso a ligação tão forte com a suavidade da luz coada por um vidro de opalina e sem grandes distorções, além da forma, um tanto bojuda, e do tubo superior, que pode ser de madeira ou em negro. Mas a peça também admite ser montada em dupla ou como peça de mesa, bem discreta – e bonita. Disponível em três comprimentos (diâmetro mais peça de cima): 35, 40 e 45 centímetros ou, 67 centímetros na peça dupla.

Voiles” é como um balé.

Outro pendente dos mais bonitos é na verdade uma luminária que parece ter quatro lados: “Voiles” é design da francesa Céline Wright que a monta passo a passo em seu ateliê em Paris com papel de arroz, finas peças de metal e cordas. Disponível em dois tamanhos é ótima para ser observada com bom espaço. Claridade, poesia, harmonia que capta a luz criando uma ambiência perfeita onde quer que seja instalada. Em dois tamanhos: 49 e 70 cm de diâmetro, um verdadeiro balé de luz e emoção.

Saturn” pode ter fechamento em poliestireno ou aço.

Saturn” me lembra muito um dos pendentes mais belos que já vi em minha carreira. Sua forma simples minimalista me encanta pela perfeição e exatidão: não é preciso mais nada para iluminar um local com bom gosto e muita elegância! Disponível em dois tamanhos – 30 e 60 centímetros – e em latão dourado, sinto falta de outros tons metálicos como o cromado e também o preto, que ficariam sensacionais. 

Circular“: luz interna ou externa. Clique para ver maior.

Circular Chandelier” pode ser arrumado de várias formas diferentes.

Circular” e “Circular Chandelier” são dois pendentes no mesmo estilo do anterior: minimalistas e encantadoramente belos. Têm a luz como único adorno e por isso mesmo seduzem o olhar. O segundo ainda pode ter mais algum apelo por ter vários elementos geométricos circuncêntricos, mas ainda assim fico com a simplicidade do primeiro. E note: a luz tanto pode vir do aro externo quanto do interno. Muito especiais de fato, podem ter de 60 centímetros a 3 metros de diâmetro.

São dois círculos de mesmo tamanho sobrepostos: ambos com recortes nas bordas. Este é “Hello“.

Hello” é um dos mais bonitos pendentes da coleção da Grok: apesar de bastante parecido com os anteriores, tem um design um tanto diferenciado pelos recortes que aparecem em sua forma. Segundo o catálogo foi inspirado no mar e nas ondas e por isso tem essa “turbulência” aparente. Mas a fonte de luz é tranquilizadora. Acabamento em branco e madeira e em dois diâmetros disponíveis: em 63 ou 100 centímetros.

A luz angelical de “Angie“.

Terminando o capítulo pendentes trago “Angie“, uma belíssima forma também chamada de “angel wings” (asas de anjo) no ocidente. Sua composição esférica e o efeito da luz que a perpassa cria uma ambiência mágica de verdade. É elegante e discreto, mas tem personalidade. Acabamentos em branco e dourado, e diâmetro de 50 centímetros.

Toda articulada, a arandela “Invisible” é bastante funcional.

Já na parte de arandelas destaco a bela “Invisible“: única, atemporal, versátil, com um design pra lá de sofisticado e bem pensado, pode ser adaptada para outras tipologias, mas é como peça de parede que mais se destaca. Sua flexibilidade permite que a luz seja controlada de forma fácil e direta para onde é necessário. Concepção de Francesc Vilaró unicamente disponível em alumínio negro. Para quê mais?

A arandela “Surf” usada individualmente.

A outra peça que destaco nesta tipologia é “Surf” que fica bem sozinha ou em grupos, fazendo desenhos os mais interessantes, com luz e sua forma cavada, bem diferente – observe as imagens. Tem acabamento cromado ou branco e 26 ou 36 cm de comprimento.

A arandela “Surf” fazendo desenhos na parede com sua forma e luz.


A elegância de ‘Cocktail‘ na mesa de um restaurante.

Falando agora sobre peças de mesa, o destaque da empresa é “Cocktail“: é pequena, bonita, portátil e cheia de vantagens. Ideal para criar ótimas ambientações em restaurantes, hoteis, coberturas, e simplesmente na mesinha de cabeceira, o jogo que possui na parte de cima é perfeito para lançar luz para uma ou outra área que se deseje. São 4 níveis de ajuste de potência de iluminação, duas cores de acabamento – preto e branco – e uma infinidade de situações felizes que ela proporciona. Design também de Francesc Vilaró.

Preto no branco com simplicidade: esta é “Hall“. Clique para ver maior.

Simplicidade em forma de luminária, “Hall” é aquele desenho infantil que se consagra quando tornado realidade. Sem tirar nem pôr é design contemporâneo, sem engodos ou excentricidades. Neutra, pode estar em qualquer lugar sem ser notado, ou ser bastante notado justamente por ser tão evidente. É design de Nahtrang Disseny, apenas em preto e branco, justamente para passar despercebido. Ou não…

Clássica, simples mas muito eficiente: essa é ‘Flávia‘.

Já “Flavia” é a clássica luminária de mesa que todo mundo tem: igualmente simples mas com um design um tanto trabalhado. Seu braço que se inclina para facilitar a aproximação de quem precisa da luz é tudo que se precisa em uma peça do tipo, nas dimensões e no momento necessário. Disponível em cromado com cúpula em acrílico leitoso.

Com 1,30 metros de altura “Bamboo” é daquelas luminárias muito “de casa”…

Temos ainda as peças de piso e de teto (plafons), mas aí eu só faço um destaque a mais no caso do primeiro tipo, que foi a que mais me encantou no caso da Grok: a luminária “Bamboo“. Bojuda e feita com varas de madeira muito similares ao material que lhe dá o nome, ela já conquista por ser engraçada. Além disso, usou-se uma madeira bem fina e flexível para dar a forma na peça, com a textura é muito próxima do bambu real, o que chama a atenção. Por dentro, um tubo de LED uniformizado até parece uma lâmpada fluorescente, mas é bem mais suave e de qualidade. Das mais interessantes… 

Related Posts with Thumbnails

Deixe um Comentário